válvulas pneumaticas, válvulas solenóides
Início | Empresa | Localização | Downloads | Central de Videos | Contato |
Produtos
Cilindros Pneumáticos
Válvulas Pneumáticas
Válvulas auxiliares
Equipamentos p/ Vácuo
Solenóides
Unidades FRL
Conexões Pneumáticas
Controladores
Sensores
Manipulação e Equipamentos
Linha Ar Comprimido Tigre
CPVC (termofusão)
PPR (termofusão)
Especiais
Máquina de Envase
Prensas Pneumática
Montagem de painéis
Dispositivos Especiais
Comando Bimanual
Grampo Pneumático
Cilindro de Impacto

painéis eletricos e PPR


Kit Prensa


Automação


Design by Henrique

Válvula solenóide

Válvula pneumática

Válvulas de acionamento mecânico
Válvulas de acionamento manual
Válvulas de acionamento pneumático
 
Válvulas de acionamento elétrico
             
Clique aqui e conheça todos os modelos do catálogo, ou se preferir entre em contato com nossos técnicos sem compromisso para especificar sua válvula corretamente.

Qual a função das válvulas pneumáticas ou válvulas solenóides

A função das válvulas pneumáticas direcionais é de permitir, orientar ou interromper um fluxo de ar. Por distribuir o ar aos elementos de trabalho, são conhecidas também como válvulas de distribuição. Constituem os instrumentos de comando de um circuito. Também são utilizadas em tamanhos menores como emissoras ou receptoras de sinais para o comando das válvulas
principais do sistema, e ainda em funções de tratamento de sinais. Duas das principais características que possibilitam sua
classificação, são o número de vias e o número de posições, definidos a seguir:
• Vias: Denominamos assim o número de bocais de conexão do elemento de distribuição. Pode-se ter válvulas de 2, 3, 4, 5 ou mais vias. Não é possível um número de vias inferior a dois.
• Posições: refere-se ao número de posições estáveis do elemento de distribuição. As válvulas mais comuns possuem 2 ou 3 posições, apesar de alguns modelos particulares possuírem mais. Não é possível um número de posições inferior a dois. As válvulas direcionais são definidas conforme o número de vias e o número de posições da seguinte forma:
• N° Vias / N° posições Exemplos: 2/2 duas vias / duas posições 3/2 três vias / duas posições 4/2 quatro vias / duas posições 5/2 cinco vias / duas posições 5/3 cinco vias / três posições etc.
• Configuração do símbolo O símbolo representa a função da válvula e sua forma de acionamento e/ou reação. Não representa de forma alguma a válvula do ponto de vista construtivo. O símbolo é composto por duas partes bem definidas: Um bloco central, onde são identificadas as posições estáveis do elemento de comutação e as vias de conexão para cada posição, e de dois blocos extremos que representam os modos de atuação ou comandos.
1. Cada posição da válvula é representada por um quadrado. Haverá tantos quadrados adjacentes quantas posições de distribuição houver na válvula.
2. Os bocais são representados por traços unidos ao quadrado correspondente à posição normal de repouso da válvula.
3. As vinculações entre os bocais são representadas por linhas e setas, indicando o sentido de circulação. Os bocais fechados são representados por linhas transversais. Tais representações são feitas para cada posição.
4. As canalizações de escape são representadas por um triângulo, podendo ser:
• Escape sem possibilidade de conexão (orifício sem rosca).
• b) Escape com possibilidade de conexão (orifício com rosca).
O símbolo é completado com os esquemas correspondentes aos comandos das válvulas, sendo estes o meio pelo qual é obtida a comutação das suas posições. Existem diferentes tipos de comandos: musculares ou manuais, mecânicos, pneumáticos, elétricos e eletropneumáticos.
Válvulas 2/2
Pertencem a este grupo todas as válvulas de fechamento que possuem um orifício de entrada e outro de saída (2 vias) e duas posições de comando. São utilizadas somente nas partes dos equipamentos pneumáticos onde não é preciso efetuar a descarga do sistema alimentado pela mesma válvula; atuam somente como válvulas de passagem. Podem ser normalmente fechadas ou abertas, dependendo se fecham ou habilitam a passagem respectivamente na sua posição de repouso.
Válvulas 3/2
Além de alimentar um circuito, permitem a sua descarga ao serem comutadas. Também podem ser normalmente fechadas ou abertas.
Válvulas 4/2
Possuem quatro orifícios de conexão, sendo um para alimentação, dois para utilizações normais e um para escape, sendo este último comum para ambas utilizações. Operam em duas posições de comando, sendo que para cada uma delas só uma utilização é alimentada, enquanto que a outra é conectada ao escape; esta condição é invertida ao se comutar a válvula.
Válvulas 5/2
Possuem cinco orifícios de conexão e duas posições de comando. A diferença em relação à 4/2 é que possuem dois escapes que correspondem um para cada utilização. Isto possibilita entre outras coisas, controlar a velocidade de avanço e retorno de um cilindro de maneira independente.
Válvulas de 3 posições As funções das extremidades das válvulas de três posições são idênticas às de duas posições, todavia a diferença é que estas incorporam uma posição central adicional. Esta posição poderá ser de centro fechado, centro aberto ou centro sob pressão. Um centro aberto permite a interrupção intermediária de um atuador de maneira livre, uma vez que ambas as câmaras ficam conectadas ao escape nesta posição. Um centro fechado, ao contrário, permitirá uma interrupção intermediária, porém o cilindro ficará bloqueado pelo impedimento de seus escapes. O centro com pressão mantém ambas as câmaras alimentadas, o que permite interromper com precisão um cilindro sem haste, compensando eventuais perdas de ar no circuito.
Eletroválvulas
Nas eletroválvulas, o sinal que origina a comutação é de natureza elétrica, excitando um solenóide que por ação magnética provoca o deslocamento de um núcleo móvel interno que habilita ou não a passagem do fluido
.

Microar Automação Pneumática - Praça Samuel de Castro Neves Nº300 Santo André - SP www.microar.com.br - vendas@microar.com.br Televendas: +55 11 4996-9444